sexta-feira, 4 de maio de 2012

VERSOS, SAUDADES DE POETA!




VERSOS, SAUDADES DE POETA! 


Ah! Que hora tão serena e triste, 
Esta que sinaliza o final do dia!
O sino da capela ressoa ao longe
Convidando para a Ave Maria!

No horizonte o sol se despede
E as primeiras estrelas reluzem...
Tanta melancolia este momento traz,
Como se fosse findar toda a alegria!

O pensamento galopa ansioso, 
Viaja em busca do amor que já se foi... 
Amor que gravou indeléveis marcas n’alma
Que permanecem impressas no coração!

A natureza comovida com tanta dor
Chora solidária, gotas de sereno, enquanto
As lágrimas rolam pela face do poeta 
E ele escreve versos de saudade e amor! 

(FatinhaMussato)


Um comentário:

Manuel Rosa disse...

Que belo amiga =)!
O final do dia... o ambiente perfeito para o poeta sentir-se no seu mundo =). Beijo